O coprocessamento é uma alternativa sustentável na destinação de resíduos e contribui para que diversos materiais não sejam levados irregularmente para aterros.

ENTENDA O COPROCESSAMENTO

by Alana Gomes

O coprocessamento é uma alternativa sustentável na destinação de resíduos e contribui para que diversos materiais não sejam levados irregularmente para aterros.

ENTENDA O COPROCESSAMENTO

by Alana Gomes

by Alana Gomes

O QUE É?

Coprocessamento é o nome dado à incineração de resíduos como matéria-prima ou como combustível no processo de fabricação do cimento. Esse processo expandiu-se no Brasil a partir dos anos 90, devido à necessidade de destinar corretamente os resíduos industriais sem prejudicar o meio ambiente.

FOTO

O coprocessamento é uma importante alternativa, pois destrói totalmente os resíduos. Com a eliminação completa, não há mais a obrigação de monitorar o resíduo eternamente. Além disso, com esse processo, muitos materiais deixam de ser destinados para aterros.

A adoção de medidas e processos sustentáveis como este, é estimulada pela Política Nacional dos Resíduos Sólidos (Lei 12.305/10). Além da alta eficiência de destruição, os resíduos deixam de ser aterrados e ainda são usados para gerar calor, diminuindo a utilização de combustíveis fósseis.

Resíduos de diversos segmentos, como o industrial, automotivo, agrícola, metalúrgico e têxtil são utilizados nesse processo. No Brasil, a Legislação 264/99 do CONAMA não permite o coprocessamento de resíduos hospitalares, domésticos não tratados, radioativos, pesticidas, agrotóxicos e explosivos. O coprocessamento representa uma transferência segura desses materiais quando descartados para processos de fabricação de cimento.

Veja exemplos de alguns materiais, de acordo com o site Cimento.org (2017), que podem ser utilizados no coprocessamento:

  • Lama com alumina (alumínio)
  • Lamas siderúrgicas (ferro)
  • Areia de fundição (sílica)
  • Terras de filtragem (sílica)
  • Refratários usados (alumínio)
  • Resíduos da fabricação de vidros (flúor)
  • Gesso, Cinzas e Escórias Solventes, resíduos oleosos e resíduos têxteis
  • Óleos usados (de carro e fábricas)
  • Pneus usados e resíduos de picagem de veículos
  • Graxas, lamas de processos químicos e de destilação
  • Resíduos de empacotamento e de borracha.
  • Resíduos plásticos, de serragem e de papel
  • Lama de esgoto, ossos de animais e grão vencidos

 

ENTENDA O PROCESSO

Como o cimento é fabricado?

A combustão é a parte principal do processo de fabricação de cimento. A queima vai ser responsável por transformar matérias-primas em clínquer. Os fornos de produção de clínquer podem ser utilizados para destinar uma grande variedade de resíduos. Contudo, essa atividade não pode causar impactos ambientais e nem afetar as condições de segurança, saúde pública e nem a qualidade do cimento.

Segundo dados do Coprocessamento.org (2017), “A alta temperatura da chama, o tempo de residência dos gases, a turbulência no interior do forno e vários outros parâmetros da combustão na produção de cimento são ideais e até superiores aos padrões exigidos para a destruição ambientalmente segura de resíduos perigosos.

O coprocessamento de resíduos em fornos de cimento utiliza todos esses parâmetros de maneira integrada ao processo de fabricação de cimento.  Esse processo, não altera a qualidade do cimento e é praticado de forma segura e ambientalmente responsável por empresas especialistas no assunto, como por exemplo a Witzler Soluções Ambientais.

Através do aproveitamento energético (como combustível) ou como matéria-prima, a destinação final dos resíduos no processo de fabricação de cimento impacta positivamente na conservação de recursos minerais e na redução do uso de combustíveis.

 

Cimento pronto sendo utilizado em obras

Legislação

O coprocessamento é regulamentado em âmbito federal e estadual. Em âmbito federal, destacam-se as seguintes resoluções:

  • Resolução CONAMA 264/99 – Coprocessamento em Fornos de Clínquer
  • Resolução CONAMA 316/02 – Sistemas de Tratamento Térmico
  • Resolução CONAMA 258/99 – Pneus

Os Estados que possuem regulamentações próprias são: Minas Gerais, Paraná, Rio Grande do Sul e São Paulo. No estado de São Paulo, não é permitido realizar o coprocessamento por conta da regulamentação da CETESB.

 

BENEFÍCIOS DO COPROCESSAMENTO

De 2000 a 2015, a destruição de resíduos em fornos de cimento cresceu aproximadamente 500%. No Brasil, 1,07 milhão de toneladas de resíduos foram coprocessados em 2015, segundo pesquisa realizada pela ABCP com apoio dos grupos produtores de cimento instalados no Brasil.

O coprocessamento traz uma série de benefícios, que vão desde ambientais e sociais até econômicos. Conheça alguns deles:

– Contribui para a melhoria da saúde pública. Por retirar alguns materiais de circulação, como por exemplo pneus inutilizáveis, elimina focos da dengue.

– Rastreabilidade de resíduos. Com esse processo é possível emitir certificados para a indústria geradora, garantindo a correta destruição do resíduo.

– Arrecadação de impostos.

– Geração de renda e empregos.

– Diminuição de impactos ambientais.

– Preservação de jazidas.

– Redução da emissão de gases que causam o efeito estufa.

– Baixo índice de emissão.

– Eliminação definitiva, técnica e ambientalmente segura de resíduos sem gerar novos resíduos, pois há total incorporação no processo de fabricação de cimento.

– Resíduos não alteram a qualidade do cimento.

– Casos de sucesso. A queima de resíduos em fornos de cimento é amplamente explorada nos Estados Unidos, na Europa e está em expansão na América Latina.

Coprocessamento aliado a sustentabilidade

 

WITZLER E O COPROCESSAMENTO

A correta destinação dos resíduos representa um dos maiores desafios para desenvolvimento sustentável. A Witzler realiza o coprocessamento contribuindo com a preservação do meio ambiente e seus recursos naturais, pois utiliza combustíveis e matérias-primas alternativos aos tradicionais. 

A Witzler Soluções Ambientais ajuda seus clientes nesse processo, garantindo a destruição total de resíduos com segurança e completa rastreabilidade. Além disso, emite certificados que facilitam a prestação de contas ambientais do seu negócio.

Nosso trabalho é garantir que seus resíduos sejam destinados de maneira responsável e legal, através da qualificação de fornecedores do processamento e monitoramento.

Trabalhamos para trazer a melhor solução ambiental para o seu negócio!

Entre em contato conosco!

Rua Iracema Cândida Posca 1-110, Distrito Industrial III
17064864 Bauru

(14) 3223-8722

Facebook:https://www.facebook.com/wrecicla/

Top